sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Bananas atraem tucanos e outras aves.




Rosas



Exemplos de rosas que eu e o John estamos cultivando na chácara. Compostagem antroposófica, plantio na Lua nova em signo de Terra, muito amor e carinho.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Café fabricado no Lago Oeste!

Delicioso!!!
Fabricação própria. Experimente! Eu experimentei e virei fã!

sábado, 25 de junho de 2011

Simples, mas bonito e faz diferença.


Muito legal a iniciativa das pedras brancas demarcando a via principal...espero que as outras ruas também sejam contempladas com este enfeite tão bonito!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Belezas do Lago Oeste: Visão de Júpiter, Vênus e Mercúrio

Esta foto foi tirada pelo meu marido John Myers hoje às 6:00 da manhã nos fundos da nossa chácara. A vista, a paisagem, tudo já é muito lindo no Lago Oeste, mas o nascer de Júpiter, Vênus e Mercúrio antes do Sol é lindo demais. De tirar o fôlego!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Ignorância Criminosa : Queimadas

O tempo passa, mas os problemas continuam os mesmos. Agora há pouco este indivíduo na foto resolveu incendiar o próprio lote após os funcionários do condomínio cortarem com a serra. É claro que, toda a fumaça, cinzas estão se espalhando com o vento, juntamente com o risco de incêndio no local e nas chácaras adjacentes. A polícia? Os bombeiros? Só virão se o fogo se espalhar e, é claro, quando for tarde demais. O calor já afetou minhas bananeiras que ficam na beira do lote, coitadas, e eu e meu marido aguando-as , tentando salvá-las.
Será que a COOHAJ vai, finalmente, tomar sérias providências para impor ordem? Até quando estaremos com esta sensação de que não estamos protegidos? Afinal, escolhemos o Lago Oeste pela paz, tranquilidade e pela conservação da NATUREZA!
Quanto a este indivíduo aí da foto, foi extremamente mal educado comigo. Afinal, queria fazer o famoso "gato" utilizando-se das minhas instalações elétricas, o que não permiti. Daí a ignorância: "não sabia que isto era errado". Isto lembra alguém que nunca sabia de nada, né?
Senhor Fulano: por favor, aprenda a conviver num condomínio e seguir leis, regras, mas, principalmente, aprender a RESPEITAR A NATUREZA E OS VIZINHOS!!!!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Carta ao secretário de Segurança é entregue

Foi protocolada nesta terça-feira (11), na Secretaria de Segurança, carta pedindo providências para melhorar a segurança no Lago Oeste. A demora deveu-se à expectativa de uma audiência com o secretário Valmir Lemos, que acabou não se verificando. Assinada por vários condôminos, pelo síndico e por um diretor da Coohaj, a carta foi registrada com o número 951. A cópia protocolada será entregue ao síndico para constar dos arquivos do condomínio.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Lições de um episódio (II)

Face à insatisfação de alguns condôminos com este blog, a quem procurou servir, as publicações ficam suspensas. A Mônica me encaminhou e-mail informando-me que se retirava da publicação e que retirava também as notas que havia postado.

O meu sentimento é de decepção com um projeto que parecia estar dando certo: mais informação para os condôminos do Lago Oeste. Entendo, porém, que a informação gera debate. Ocorre que também gera conflito. Só que eu achei que o conflito, desde que bem digerido, pudesse gerar o surgimento de novas propostas a serem encaminhadas no Palmas.

Diz o ditado, que nunca se é tão velho para se enganar.

Como o meu objetivo, desde o início, foi sempre a mobilização e o debate, mas nunca o confronto ou a discórdia, lamento que este último tenha sido o resultado.

Estou absolutamente tranquilo em relação ao papel que cumpri. Em nenhuma postagem que publiquei encontram-se palavras ofensivas a quem quer que seja. São todas notas ponderadas, em que salvaguardo a honra pessoal de condôminos e funcionários, quando citados. E, sinceramente, não acho que o blog tenha causado mal a ninguém.

O que há no condomínio são conflitos antigos, a maioria dos quais eu desconhecia por completo até muito recentemente. E de nenhum desses conflitos sou parte. A minha atenção para o quadro vigente no condomínio só foi despertada realmente com o arrastão, durante o qual foram arrombadas cinco casas, entre as quais a minha. Até hoje o crime não foi solucionado. Tive que assumir os prejuízos e viver com a sensação de insegurança. Foi então que iniciei uma campanha em prol de um condomínio mais seguro. Durante a assembléia realizada pela Coohaj para tratar de temas financeiros, e em que o tema da segurança não constava da pauta, o assunto foi levantado por mim e se acordou que seria discutido nas futuras reuniões do conselho. Naquela ocasião, conheci a Mônica, que me propôs criarmos o blog. Imediatamente sugeri ao Luiz Antonio que o blog fosse oficial, mas acabou que a publicação foi tocada mesmo pela Mônica, num primeiro momento, e depois passei a publicar, recebendo o incentivo e o elogio de alguns condôminos.


Voltando, então, à avaliação deste blog, há opiniões e opiniões.

Tenho o maior respeito pelos funcionários do condomínio, mas entendo que a administração do Palmas é livre para debater sobre o bom andamento de tudo. De todo modo, como uma prova de que o meu espírito nunca foi beligerante, mas sempre mobilizador, retiro qualquer referência, ainda que todas tenham sido positivas, ou apenas informativas, de funcionários em postagens neste blog.

Aproveito para dizer que continuarei a cumprir com minhas obrigações condominiais, mas minha participação não excederá a isso, visto que nos últimos meses investi bastante tempo na formulação de projetos ou na execução de tarefas para o condomínio e hoje recebi, em retribuição, críticas ácidas e até em tom ofensivo. Dois exemplos de contribuições minhas são o projeto para a melhoria da segurança e a ata da última reunião do conselho, além de diversas sugestões e tarefas, como o recolhimento de assinaturas a uma carta pedindo o apoio da Secretaria de Segurança Pública. Sobre a ata, aliás, ao final da reunião do conselho foi solicitado se alguém fazia algum reparo ao relato para que se consertasse qualquer impropriedade. Nada foi reparado, o que configura a fidedignidade da ata.

Faço votos de que o síndico, em cooperação com a Coohaj, e os condôminos que desejarem dar sua contribuição, tenham sucesso no encaminhamento das questões do nosso condomínio.

Cordial e atenciosamente.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Monsanto impede publicação de cartilha


A cartilha "O Olho do Consumidor", que conta com ilustrações de Ziraldo, foi lançada para divulgar a criação do "Selo do SISORG" (Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica) que pretende padronizar, identificar e valorizar produtos orgânicos, orientando o consumidor.

O livreto, que teve tiragem de 620 mil cópias, foi objeto de uma liminar de mandado de segurança, fruto de ação movida pela transnacional Monsanto, que impediu sua distribuição. Setores do Ministério ligados ao agronegócio também não ficaram contentes com as informações contidas na cartilha. O arquivo foi inclusive retirado do site do Ministério.

A proibição se deu por conta do item 5 da página 7 (imagem no link abaixo), onde se lê: "O agricultor orgânico não cultiva transgênicos porque não quer colocar em risco a diversidade de variedades que existem na natureza. Transgênicos são plantas e animais onde o homem coloca genes tomados de outras espécies".

Nos juntamos a todos aqueles que estão distribuindo eletronicamente a cartilha. Se você concorda com esta idéia, continue a distribuição para seus amigos e conhecidos.
A CARTILHA ESTÁ CIRCULANDO NA INTERNET. LEIA E DIVULGUE:

http://www.aba-agroecologia.org.br/aba2/images/pdf/cartilha_ziraldo.pdf


Essa agricultura da doença também plantou uma matéria super capciosa na BBC - matéria que depois foi reproduzida pelo Estadão Online (segue o link). Baseadas num estudo científico supostamente idôneo, as fontes afirmam que os alimentos orgânicos não são mais nutritivos dos que os convencionais.

Em primeiríssimo lugar, a agricultura orgânica é um conceito de nutrição muito mais amplo do que uma tabela com percentuais de nutrientes. Em segundo lugar, ainda que seja verdadeiro que esses percentuais não se alteram segundo a categoria do alimento (orgânico ou convencional), resta a presença de resíduos tóxicos nos convencionais e o desleixo com o solo, a água, a vegetação, enfim, com o meio ambiente, e com as condições de trabalho dos agricultores.
http://www.estadao.com.br/geral/not_ger410537,0.htm